A tua graça me basta

por
A tua graça me basta,
Assim conclui o apóstolo a cerca da lei e da graça.
Mas o que é Graça?
Graça é o favor imerecido, por isso somos salvos pelo favor de Deus, posto que não podemos justificar a nós mesmos e nem salvar a qualquer, senão pelo Filho de Deus.
Então se a graça nos basta, foi a Lei anulada?
Certamente que, pelo sacrifício de Cristo, somos aperfeiçoados, não pela Lei, mas pelo favor de Deus.
Todavia, a lei caracteriza o pecado, de maneira que na graça, fazemos naturalmente as coisas que são da Lei, mas segundo a liberdade de Cristo.
Então não devo eu pôr jugo sobre meu irmão, nem jugo da lei, menos ainda jugo de homem, segundo os rudimentos do mundo.
Então se sou eu livre em Jesus, de nada sou devedor?
Sim, certamente que Ele levou sobre si nossos pecados e carregou com as nossas enfermidades, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Se sou devedor, sou devedor do amor, que devo pagar com amor a todo que o Senhor me levar.
E qual amor maior senão o de falar do Salvador com firmeza e verdade?
E ainda em praticar as coisas que são do Espírito?
Certamente, a graça do Senhor nos basta.
Por isso, a Lei envelhecida perto está do fim, e já rutila a excelsa aliança de Deus, em seu tabernáculo eterno, o Senhor Jesus Cristo.
O que então plantarei? Toda boa obra. Compartilhai, oferecei sacrifícios de louvor a Deus, amai os irmãos, não impor jugo da lei, não maldizer, não maltratar, não amaldiçoar, não se ensoberbecer, não cobiçar, não mentir, não roubar, não matar, mas amar e amar.
Então imporei eu jugo?
De maneira nenhuma, porque se me justifico pela Lei, já na graça não estou. E seu saio da graça de Deus, como permanecerá o seu favor? E como escapar do juízo e da condenação?
Mas se faço as coisas da Lei pelo Espírito Santo, voluntariamente, então sigo a vontade do Espírito, mas se as sigo por rito de tradição, então em que incorrerá tal ato senão na carnalidade?
O que oferta faz bem, mas o que se compadece faz melhor, porque fará tanto estas quanto aquelas, sem soberbas e ganâncias, em sacrifício vivo a Deus, não pela superficialidade da tradição ou pela aparência de santidade, mas em Espírito e em Verdade.
Graças a Deus, que nos livra do laço dessa morte todos os dias, porque a carne contende contra o Espírito e o Espírito contende contra a carne. E as coisas do Espírito inclinam-se para a vida, mas as coisas da carne, para a morte.
Glória a Deus.
Sim, que o amor de Deus nos conduza em santidade e entendimento, pela sabedoria de Deus, segundo a sua santa Palavra.
E o discernimento que vem do Espírito não nos deixa em confusão e é confirmado pela Escritura Sagrada, mas não segundo a interpretação carnal, mas segundo a verdade.
Glória a Deus.
E nesses últimos dias, em meio a tantas interpretações doutrinárias, mais precisamos buscar o Espírito de Deus, porque Ele testifica das coisas que são do Filho e as confirma.
Mas os que negam o Espírito trazem sobre si mesmos condenação, posto que Ele é o Penhor da Aliança e a confirmação da Graça, pelo Senhor Jesus Cristo.
O que não tem o Espírito de Deus não é Dele, e perto está do fim.
Os que negam o Espírito de Deus estão em trevas, mas os que o buscam serão corrigidos. Ele convence da verdade, da justiça e do Juízo.
Graças a Deus, pelo seu Filho Jesus Cristo, mediante o Consolador.
Os dias já se encurtam, então, busquemos a graça do Senhor de todo o nosso entendimento.
Jailson, servo e apóstolo de Jesus Cristo.

share

Postagens Recomendadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

»