A Ordem Episcopal

A Ordem Episcopal está diretamente ligada à Casa do SENHOR. Ela é Composta por duas subordens, a Ordem Presbiteral e a Ordem Diaconal.

 

Chefe da Ordem Episcopal

Epíscopo Jailson Mário dos Santos Pereira

 

Da Ordem Episcopal Da Universal Assembléia

A Ordem Episcopal da Universal Assembléia é definida pelo Conselho Apostólico, segundo a Bíblia, e é formada pelos Presbíteros governando os Patriarcados e as Igrejas, respectivamente.

A Ordem Episcopal está ligada diretamente a Casa do Senhor do Primado.

O Episcopado e episkopé vêm do verbo grego episkopein, que significa cuidar de, discernir, exercer supervisão. Na Universal Assembléia, a episkopé (supervisão) em sentido amplo é exercida por Presbíteros ordenados ao serviço como Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Doutores, enquanto epíscopos sobre o rebanho do Senhor, executando o pastoreado e recebendo e efetuando atividades, conforme suas atribuições seculares episcopais, e pelos Diáconos nas atividades auxiliares e serviços inerentes à diaconia.

A Universal Assembléia está organizada segundo a Palavra de Deus em um único e completo Episcopado, que se associa ao governo secular institucional da Universal Assembléia harmoniosa e perfeitamente.

São as Ordens Episcopais da Universal Assembléia:

I –  A Ordem Presbiteral, formada por Presbíteros, que efetuam serviços nas três  subordens:

a)    Ordem dos Apóstolos, formada pelos eleitos aos apóstolos de Jesus Cristo;

b)   Ordem dos Profetas, formada pelos eleitos aos Profetas;

c)    Ordem dos Evangelistas, Pastores e Doutores, formada pelos eleitos aos mestres: Evangelistas, Pastores ou Doutores.

II –   A Ordem Diaconal, formada por Diáconos.

 

A Universal Assembléia, por decisão do Conselho Apostólico, poderá criar novas ordens regulamentadas pelo Regimento Interno, observando-se os princípios bíblicos, de forma a não desvirtuar a formação episcopal bíblica da Igreja do Senhor.

Somente o Conselho Apostólico pode criar e desfazer Ordens da Universal Assembléia.

Todas as Ordens são sujeitas ao Conselho Apostólico e são regulamentadas por este Regimento Interno e pelo Estatuto da Universal Assembléia.

 

Do Episcopado da Universal Assembléia

O Episcopado da Universal Assembléia é composto pelos Presbíteros, pelos Diáconos e pelos Irmãos que efetuam tarefas episcopais, e desempenham suas atividades dentro da jurisdição do Primado, do Patriarcado, Distritos, Cidades e Igrejas.

O Episcopado abrange todos os Patriarcados, que exercem a episcopê sobre o rebanho dentro da sua jurisdição, sendo subordinados hierarquicamente ao Primado.

O Patriarcado é governado pelos Presbíteros, conforme suas posições de autoridade secular na Universal Assembléia.

Um Patriarcado encerra uma pátria. Ele é presidido por um Presidente. O nome do Patriarcado que encerra uma região nacional é formado com o nome do país do Patriarcado, como, por exemplo, o seguinte: Patriarcado do Brasil, Patriarcado dos Estados Unidos e Patriarcado da Rússia.

O Presidente do Patriarcado é o Presbítero que preside o Patriarcado de uma região nacional. Ele representa o Conselho Apostólico, naquele Patriarcado.

Os Presbíteros devem submissão eclesiástica somente ao Conselho Apostólico.

Epíscopo é o título que se refere ao encargo dado pelo Espírito Santo de Deus ao Presbítero de olhar por todo o rebanho sobre o qual o Presbítero é estabelecido como epíscopo sobre o rebanho do Senhor, para apascentar a Igreja de Deus, ou seja, o comissionamento do Presbítero ao encargo de pastorear, alimentando, cuidando e conduzindo o rebanho de Deus.

A Presbitida eleita ao episcopado é estabelecida como episcopisa sobre o rebanho do Senhor, para apascentar a Igreja de Deus.

Os Presbíteros podem ser chamados à itinerância nos Distritos, segundo ordenança do Presidente do Patriarcado ou do Conselho Apostólico, após um período de governo de 3 (três) anos, em seu respectivo cargo ou função na Universal Assembléia.

Presbítero quer dizer ancião ou antigo (do grego Presbuterou como em Atos 14:23). Na Universal Assembléia, os Presbíteros estão sujeitos ao Conselho Apostólico. Os Apóstolos são os Presbíteros que têm a precedência na Ordem Presbiteral. Os Presbíteros que exercem atividades de supervisão administrativas formais na Universal Assembléia no trabalho de apascentar o rebanho do Senhor, no episcopado, são Epíscopos que servem como sacerdotes ativos. Os primeiros anciãos (Presbíteros) levantados pelos Doze apóstolos, incluindo Matias, foram homens, como em Atos 14:23, mas também foram levantadas mulheres idosas (Presbitidas) para cuidar e ensinar as mulheres jovens. Essas Presbitidas foram chamadas pelo Apóstolo Paulo em Tito 2:2 transliterado ou Titos 2:3 original. De forma que na Universal Assembléia, normalmente usaremos o plural Presbíteros para nos referirmos aos Presbíteros homens e às Presbitidas mulheres.

A mulher eleita ao Presbitério será chamada Presbitida (como em Tito 2:3 – Presbutidas).

Todos os Presbíteros e Presbitidas são arrolados na Ordem Presbiteral.

Os Presbíteros e Presbitidas devem submissão ao Conselho Apostólico, repudiando e desprezando toda forma de idolatria, imagens de escultura, ritos pagãos, cultura mundana, maledicências, bebedices, glutonarias, símbolos heréticos, religiosidade, sodomismos, pedofilias, prostituição, rancores, iras, detrações, porfias, falatórios maliciosos, outros pecados, falta de misericórdia, repudiando atos de morte, preconceitos carnais, carnalidades, visão sectarista, excesso de vaidade, vida reclusa, vazio espiritual, ódio, racismo, vícios, zombaria, excesso de meninice, violência, dissoluções, timidez, e ainda repudiando feitiçarias, orgulhos, invejas, avareza, adultérios, orgias, impudicícias, frieza espiritual, apostasia, satanismo, esoterismo, magias, contos, fantasias, profanismos, gritarias profanas, materialismo exagerado, sujeira espiritual, características efeminadas nos homens, palavras de consideradas ofensivas à moral ou palavras chulas, aborto de fetos e zigotos, exploração infantil, roubos, desvios de verbas, imposição por dominação do rebanho, mau exemplo, ganância, tolices, machismos, feminismos, violência sexual, abusos, complexos, preguiça, deslealdade, síndromes de superioridade ou de inferioridade, racismos, movimentos seculares populares, ansiedades, loucuras, calúnias, difamações, vinganças, ou qualquer forma de rebeldia a DEUS e ao Conselho Apostólico.

O Diácono é um servo do Senhor Jesus Cristo, que atua como ministro do SENHOR REI dos reis JESUS CRISTO e tem a função de auxiliar o Presbítero na serventia da Universal Assembléia, como mesas, cuidar dos órfãos e das viúvas nas suas necessidades e efetivar a obra social da Igreja. O Diácono também serve na Diaconia dos Evangelistas e nas demais Diaconias as quais possam ser habilitados, segundo seus dons e talentos. Na Universal Assembléia da Santa Aliança Cristã a Palavra Diáconos é usada em seu sentido amplo para todos os servos da Igreja que auxiliam os Presbíteros na Obra do Senhor, bem como aos primeiros Diáconos que serviram as mesas e cuidam dos órfãos e viúvas, sendo este último trabalho comum a todos esses ministros. Os Diáconos compõem a Ordem Diaconal e cooperaram nos demais serviços espirituais da Igreja.

Havendo mulher eleita à diaconia, a eleita será chamada Diaconisa.

 

Das Diaconias Espirituais Da Igreja

O Espírito Santo de Deus manifesta na Igreja dons para o serviço do corpo de Cristo (ministérios: as diaconias), segundo a vontade Dele, conforme descrito em I Coríntios 12:28-31 e ainda Efésios 4:10-13  ou ainda Efésios 4:10-13 em grego.

As Diaconias espirituais da Igreja obedecem aos Evangelhos, segundo a Bíblia Sagrada Cristã. Sua formação fundamental é conforme descrito pelo apóstolo Paulo nos evangelhos: Diaconia dos Apóstolos, Diaconia dos Profetas, Diaconia dos Evangelistas, Diaconia dos Pastores e a Diaconia dos Doutores. Elas definem as atividades espirituais da Igreja para os Presbíteros e para os Diáconos, e podem ser representadas na forma de cargos de natureza espiritual, para uso dos dons da Igreja nesses ministérios (serviços).

As traduções bíblicas em português traduzem “Diaconia” como “Ministério”, conforme Efésios 4:12 e outros textos bíblicos. A palavra ministério traduzida na Bíblia em Português tem origem latina “ministeriu” que quer dizer “servir em ofício” ou “função de servidor”. Todavia, o Estudo na língua hebraica nos permite afirmar que os “Ministérios” possuem melhor tradução quando chamados de “Diaconias”, pois caracterizam a diaconia e clareiam o entendimento, para o contexto bíblico, que é a forma referida neste Regimento Interno, que aponta para os exercícios dos dons espirituais no serviço da Igreja, conforme a eleição feita pelo Espírito Santo de Deus para cada irmão.

Os Presbíteros servem, segundo a graça do Senhor, exercem as atividades episcopais segundo suas Diaconias: na Diaconia dos Apóstolos, quando se tratar de Apóstolos, os que possuem o “dom de apóstolo”; na Diaconia dos Profetas, na Diaconia dos Pastores, na Diaconia dos Doutores e nas diaconias atribuídas a cada um pelo Espírito Santo de Deus espiritualmente, com liberdade.

Os Diáconos servem nas Diaconias, as quais podem ser habilitados, e na Diaconia dos Evangelistas.

Todos os Diáconos são cooperadores da obra do Senhor Deus.

Todos os Diáconos estão sujeitos aos Presbíteros, para manutenção da ordem da Universal Assembléia. Esta sujeição está justificada não somente pelo entendimento de ordem secular, que é necessária, mas principalmente e fundamentalmente, porque os Diáconos são sujeitos à unção pastoral, conforme a autoridade que é constituída pelo Espírito Santo de Deus aos Presbíteros que são postos como epíscopos sobre o rebanho do Senhor, que são também chamados de Pastores, no sentido amplo, ou, na sua forma Presbiteral, são chamados de Presbíteros. A diaconia dos Presbíteros está em apascentar o rebanho do Senhor Jesus Cristo.

Os Diáconos receberam uma Ordem especial, chamada Ordem Diaconal, por terem sido os primeiros servos levantados na Igreja, diretamente pelos 12 (Doze) apóstolos do SENHOR REI dos reis JESUS CRISTO, incluindo Matias, para serventia do serviço cotidiano, no serviço da mesa, dos órfãos e das viúvas nas suas necessidades. Posteriormente, a Diaconia foi aplicada no sentido amplo a todos os demais servos da Igreja que cooperam com os Presbíteros na Obra do Senhor, Filipenses 1:1-10. Na Universal Assembléia, o serviço da Diaconia é aplicado de forma ampla a todos os cooperadores do Corpo de Cristo que auxiliam os Presbíteros na Igreja.

Os titulares da Diaconia dos Apóstolos ou “ministério apostólico” são os Presbíteros constituídos como Apóstolos, que possuem o “dom de apóstolo” e são epíscopos sobre as demais ordens.

Os Anciãos do Conselho Apostólico presidem a Diaconia dos Apóstolos.

A Universal Assembléia, para cooperação de todas as partes estende as diaconias fundamentais, cuja formação está definida neste Regimento Interno, para maior diversidade e especialização dos serviços do corpo de Cristo, segundo este Regimento Interno e ainda em consonância ao entendimento de I Coríntios 12:4-27, em especial o versículo 11 e I Coríntios 12:28-31 e ainda Efésios 6:1-13:

I –   Diaconia dos Apóstolos;

II – Diaconia dos Profetas;

III –Diaconia dos Evangelistas;

IV –Diaconia dos Pastores;

V –  Diaconia dos Doutores;

VI –Diaconia de Operação de Milagres, Prodígios e Maravilhas de Deus;

VII –Diaconia de Cura;

VIII –Diaconia de Socorros;

IX –   Diaconia de Governos;

X –     Diaconia de Línguas;

XI –   Diaconia da Reconciliação;

XII – Diaconia de Oração;

XIII –Diaconia de Louvor;

XIV –Diaconia de Dança;

XV –  Diaconia de Teatro;

XVI – Diaconia de Capelania;

XVII – Diaconia de Missões.

 

O exercício de uma Diaconia da Igreja é organizado em atividades dentro de Departamentos e Coordenações da Secretaria do Presbitério. Um mesmo Departamento ou uma mesma Coordenação podem permear várias Diaconias espirituais da Igreja.

Os apóstolos do Senhor Rei Jesus Cristo são designados pelo Conselho Apostólico ou por seu Presidente, para missões de criação de Campos Missionários, com vista à fundação de Patriarcados, Distritos, Cidades e Igrejas, para o evangelismo em massa, em todos os Patriarcados. O apóstolo do Senhor Rei Jesus Cristo em missão é sujeito hierarquicamente ao Conselho Apostólico ou ao seu Presidente e ao Presidente do Patriarcado, no Patriarcado em que ele se encontra.

Na ausência do Presidente do Patriarcado, por se tratar de nação em que a Universal Assembléia ainda não possui Patriarcado formado e fundamentado, o apóstolo do Senhor Rei Jesus Cristo em missão é sujeito apenas ao Conselho Apostólico e ao seu Presidente.