Igreja, Paradigma de Fidelidade

 
Autoria do Reverendo Romeu Maluhy, pastor da Igreja Presbiteriana

Publicação autorizada pelo Presbítero Romeu Maluhy Junior, pastor e epíscopo

Agradecimentos de Universal Assembléia da Santa Aliança Cristã

Presbítero Jailson Pereira, apóstolo e epíscopo

 
 
IGREJA, PARADIGMA DE FIDELIDADE


 

Leitura Bíblica: Apocalipse 3:7-13

 

“Conheço as tuas obras – eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar – que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome” – Apocalipse 3:8).

 

BREVE INTRODUÇÃO ÀS SETE CARTAS DO APOCALIPSE

 

Por certo, o Apocalipse, capítulo 1, é uma introdução às sete cartas às Igrejas que estavam, na província da Ásia, hoje Turquia. O último versículo, o de número 20 do capítulo 1º, na Nova versão Internacional. Diz: “Quanto ao mistério das sete estrelas que você viu em minha mão direita, e dos sete candelabros de ouro: as sete estrelas são os sete anjos das sete Igrejas e, os sete candelabros são as sete Igrejas”.

Ainda como preparação para interpretarmos corretamente as sete cartas, adotando como estamos fazendo, a corrente histórica de interpretação, sem desconhecer as correntes simbólicas e futuristas, queremos ligar os versículos 5 e 19 do capítulo introdutório, que dizem: “bem-aventurado é aquele que lê em voz alta e aqueles que ouvem as palavras desta profecia e atentam para as coisas nelas escritas. Porque o tempo está próximo” (versículo 3 NIV).

            E o verso 19 completa dizendo:

“Escreva, pois, as coisas que você viu, tanto as presentes como as que acontecerão depois” (versículo 19; NIV)

            Faz parte e é o cerne da introdução, “A visão de Jesus Glorificado”. Versículos 9 a 18

  • “O que você viu”, aponta para a visão de Jesus Glorificado;
  • “As coisas presentes” referem-se à condição espiritual das sete igrejas da Ásia; e
  • “As que acontecerão depois”, é uma referência ao período do tempo de João e ao Regresso, ou à Segunda Vinda de Cristo – que estudaremos no próximo ano.

 

I) UMA GRANDE PORTA ABERTA PELO SENHOR DA

IGREJA ESTÁ DIANTE DE NÓS

 

            A autodescrição de Jesus, o Senhor e cabeça da Igreja, é uma introdução específica para a Igreja de Cristo em Filadélfia. Quanto mais a Bíblia fala, melhor eu entendo: “Isto diz aquele que é santo e verdadeiro, que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fechará, e que fecha e ninguém, abrirá”.

É aqui que se encaixa como luvas nas mãos a frase poética do nosso amigo e irmão, pastor e cantor. Ver. Josué Rodrigues: “Portas que se abrem são iguais às que se fecham, se abertas ou fechadas por Deus”.

Insistimos, mais uma vez: deixe Deus ser Deus na sua vida. Aceite e submeta-se à soberania de Deus, na prática, no dia a dia da sua vida. Quando Deus está no controle, Ele ordena as circunstâncias e põe diante da Igreja e de sua vida portas abertas por Ele – que são sempre as melhores e não se fecharão.

Filadélfia é uma palavra composta de “Filo” + “adelfos” = amor de irmão. É o que mais precisamos para sermos Igreja de Cristo.

 

II) A SITUAÇÃO DA IGREJA DE FILADELFIA ERA MUITO BOA, MAS

NÃO ERA PERFEITA

 

            Tome nota,. Por favor, não existe Igreja perfeita, nenhuma sequer. Nós somos falhos, humanos e imperfeitos. Procure “olhar para Jesus, mo autor e aperfeiçoador da nossa fé”. Quem entra para a Igreja e fica olhando para os lados, cedo verá os seus defeitos nos outros, e eles verão os seus. E se acontecer que, ao invés de perdoar uns aos outros, nós passáramos a nos criticar mutuamente:

Morremos como igreja-organização, os que são de Cristo permanecerão Nele, com Ele e por causa Dele. Permita-me lembrar-lhe do que diz Jesus Cristo, Senhor e cabeça da Igreja, a nosso respeito. Sejamos, para efeito deste Editorial, uma igreja parecida com a de Filadélfia.

a) “Conheço as tuas obras”: Eu sei quem é você e, vi o que você fez!

      Tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar. Uma Igreja comprometida com a Evangelização, com o Ensino e com a Ação Social. Uma igreja fraterna, amiga e acolhedora. Quem está não quer sair; e quem ainda não entrou, quer ser membro, quer entrar. Jesus sabe tudo sobre a Igreja e sobre nós – você e eu. Diz Ele:

* Conheço – as tuas obras: Eu sei quem é você e, vi o que você fez!

Tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar. Uma Igreja comprometida com a |Evangelização, com o Ensino e com a Ação Social. Uma Igreja fraterna, amiga e acolhedora. Quem está não quer sair; e quem ainda não entrou, quer ser membro, quer entrar. Jesus sabe tudo sobre a Igreja e sobre nós – você e eu. Diz Ele:

  • Conheço – as tuas obras.
  • Sei que tens pouca força.
  • Conheço – sei – que não negaste o meu nome: Povo da Fidelidade!

         Praza Deus que a Igreja chegue perto deste perfil. Mito dependerá de atitudes nossas. Eu sei “que é Deus quem efetua em nós tanto o querer, como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Leia Filipenses 2:13 e Romanos 12:2).

b) Qual é o significado da expressão “uma porta aberta?” Uma primeira leitura é a porta estreita da salvação, o caminho, a verdade e a vida. A porta da Salvação foi aberta por Jesus, e ninguém pode fechá-la.

O tempo sobremodo oportuno é agora. Haverá um tempo em que a porta será fechada. Leia A Parábola das dez virgens, em Mateus 25:1-13. Pode ser lida como a grande porta aberta da liberdade de culto, de liturgia e de pregação do Evangelho. Nós somos como a grande porta aberta da liberdade de culto, de liturgia e de pregação do Evangelho. Nós somos “Uma Igreja de portas abertas” – literalmente, ou seja, as portas do templo estão abertas todos os dias da semana e temos sempre uma média de 3 a 5 reuniões por dia. Estamos abertos para receber bem e servir cada vez melhor.

Para a salvação é Deus quem abre a porta. Só assim a nossa ação evangelizadora será eficaz.

 

III) NA IGREJA EM FILADÉLFIA HAVIA “ALGUNS QUE ERAM DA SINAGOGA

DE SATANÁS (Apocalipse 3:9).

 

            É triste constatar agentes do inferno infiltrados na Igreja. E não são necessariamente quem faz oposição. Oposição leal e crítica construtiva são altamente positivas. O drama da Igreja em Filadélfia era mais forte do que pensamos. O diabo é como cupim de madeira ou de cimento que vai minando tudo e, quando você menos espera, desaba tudo.O trabalho do Diabo parece simpático e seus agentes ou “cavalos” termo usado no espiritismo – até “acreditam” ou pensam que estão fazendo para o bem. Diz a Bíblia:

a) “Eis que farei com que os que são da sinagoga de Satanás, e que a si mesmo se declaram “judeus” e não o são, porém mentem” (versículo 9) “Eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei” (Apocalipse 3:9B.

            Os agentes de Satanás enganam os outros e mentem. É natural, pois o menor deles é “o pai da mentira e dos mentirosos” – que não herdarão o reino dos céus. Compare que na carta à Igreja em Esmirna (Apocalipse 2:9) aparece a referência aos falsos judeus que estão à Igreja, mas não são Igreja e sim “reunião de filhos e filhas do Diabo”. Mas pastor, isto, dentro da Igreja!? Não. A Igreja é de Cristo, estes são “sinagoga de Satanás” declaram-se da Igreja, mas não são. São, antes, “joio no meio do trigo”, “Jonas no barco” 0u só trazem tempestades e confusão.

Confira os paralelos entre Apocalipse 2:9 e Apocalipse 3:9

 

* Aqueles se declaram Judeus e não são.

*Porém, são sinagoga de Satanás.

* Farei com que os que são sinagoga de Satanás, que se chamam judeus e não o são.

*Porém, mentem.

 

Sendo Satanás, “o pai da mentira” e os falsos judeus da Igreja de Filadélfia mentirosos” – são farinha dos mesmos sacos.

É, no mínimo curioso, que Esmirna e Filadélfia sejam as únicas Igrejas mistas de Judeus (Judaizantes) e gentios, juntos, nas mesmas Igrejas.

Observe que na Parábola do Joio e do Trigo (Mateus 13) o Senhor Jesus não permitiu aos discípulos arrancarem o joio, permitiu que crescessem juntos, até a ceifa: Trigo, produz fruto; Joio, apenas palha. Trigo vai para o celeiro; para o Reino; a palha é destinada ao fogo. A escolha é sua. Agora, lembrem-se que apenas os regenerados, as novas criaturas, têm livre arbítrio; os outros são dominados por Satanás.

            Os judeus perseguiam aos cristãos e fizeram de Tiago e de Estevão (Atos 7 e 12:2) os primeiros mártires da intolerância religiosa. Veja em Atos 3 e 4 o tratamento que os judeus deram a Pedro e João. Os judeus chamavam os cristãos de “seita” – não é o que oficialmente a Igreja Católica faz, e o que é pior, a nossa  denominação está imitando a Igreja Católica e já catalogou algumas “seitas” ou “igrejas menos puras”. Lamentavelmente, tendemos a imitar dos outros, o que menos prezamos. Leia Atos 24:5.

            Simon Kistemaker, em seu alentado Comentário ao Apocalipse, diz em relação a Apocalipse 2:9 e Apocalipse 3:9: “Como os Judeus se orgulhavam de ser o povo eleito de Deus, com Ele fizeram uma aliança, Jesus diz que eles, implicitamente, tinham perdido o direito de serem chamados Seu povo. Tornaram-se instrumentos, nas mãos de Satanás que, como seu governante, usava-os para solapar e, se possível, destruir a Igreja”  Para os que são do Senhor, sempre há tempo e lugar para o arrependimento.

 

IV) CONCLUSÃO E APLICAÇÕES PRÁTICAS DA PALAVRA À VIDA

 

1º) “Venho sem demora”. Os sinais da Segunda Vinda estão claros e patentes.

       Breve Jesus voltará!

2º) O aumento das iniqüidades; o esfriamento do amor; e a quase ausência de misericórdia na vida da Igreja, são sintomas do fim dos tempos e dos tempos do fim.

3º) Visto eu você tem guardado minha ordem de perseverar; eu também o guardarei na hora da provação que está para vir sobre o mundo inteiro. Disse Jesus: Apocalipse 3:10. Pode crer e confiar.

4º) Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá.

5º) Gravarei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da Cidade do meu Deus. Leia os Salmos 87, 88 e 89. A Jerusalém aqui referida é a que desce do céu, da parte de Deus (Apocalipse 21:1-8); e o meu novo nome estará sobre os remidos, escrito na pedrinha branca. Eu sou de Cristo.

6º) Prepare-se já para a Temática de 20:12, o Ano do nosso Sesquicentenário.

 

“Que ninguém vos engane”, Disse Jesus: Mateus 24:4.

 

Em oração

 

Rev.Guilhermino Cunha

 

Pastor da Igreja
Share

Sermões Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

»