Sermos Donos ou Sermos Mordomos

 
 
Autoria do Reverendo Romeu Maluhy, pastor da Igreja Presbiteriana

Publicação autorizada pelo Presbítero Romeu Maluhy Junior, pastor e epíscopo

Agradecimentos de Universal Assembléia da Santa Aliança Cristã

Presbítero Jailson Pereira, apóstolo e epíscopo

 
 

SERMOS DONOS OU SER MORDOMOS?
            A Bíblia, palavra inspirada de Deus, inerrante e infalível palavra, nos ensina muito a respeito da confusão que alguns fazem quanto à obra de Deus, à casa de Deus, ao povo de Deus, às coisas de Deus.

            O texto bíblico de Gênesis 2:15 nos informa que o SENHOR Deus tomou ao homem e “o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar”. Havendo Deus, pois, criado “o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a, dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra” (Gênesis 1:27-28).

            Segundo a Bíblia, revelação de Deus, o homem criado por Deus foi colocado sobre as obras de Deus. O homem não é o dono das obras, mas mordomo, zelador, administrador daquilo que Deus criou e lhe deu para cuidar.

            Assim como Eva recebeu todas as suas bênçãos em Adão – note que a formação da mulher só será apresentada no capítulo dois de Gênesis, mas desde já, no capítulo primeiro ela recebe do Senhor a bênção. E ainda que tenha sido formada de uma costela de Adão, este não era seu dono, mas igualmente mordomo de Deus, para dela cuidar, protegê-la, amá-la e, com ela, exercer o governo delegado por Deus. “No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem, independente da mulher. Porque, como provém a mulher do homem, assim também o homem é nascido da mulher; e tudo vem de Deus” (I Coríntios 11:11-12).

            O rei Davi compreendia muito essa distinção entre o “sermos donos” e “ser mordomos”, pois declarou enfaticamente: “”Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; Teu, SENHOR, é o reino e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força(…) Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos” – I Coríntios 29:11-12,14.

            Quando vivemos segundo o “sermos donos”, agimos como Adão, que não obedeceu à palavra do Senhor, não levando a sério que sua vida estava pendente da sua obediência. Quem se julga dono, não obedece. Quem é mordomo obedece ao seu Senhor, está pronto para prestar contas de sua administração, de sua fidelidade.

            Quando vivemos segundo o “sermos donos”, ou seja, quando deixamos Deus de fora de nossas vidas, “a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida” – tudo que há no mundo, conforme I João 2:16, assumirão o comando de nossas mentes e corações. Estabelecendo o nosso estilo de vida.

            Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo deixou isso tudo muito claro, conforme registrado em Mateus 6:19-21, 25-33, contrastando as atitudes de quem vive segundo o “sermos donos” com a daqueles que buscam, em primeiro lugar, o reino de Deus e a Sua justiça, como mordomos fiéis e obedientes.

            Também o apóstolo Paulo trata dessa distinção, quando nos fala assim: “Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido?” (I Coríntios 4:7).

            E nós, como ficamos diante dessas reflexões? Sermos donos ou Ser Mordomos, o que escolhemos?

            Deus nos ajude para que façamos a escolha certa!

           Com ação de graças a Deus e carinho pastoral! 

 

 

Rev. Claudio Aragão da Guia.

 
Share

Sermões Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

»