Vaso ou Botija

 
Autoria do Reverendo Romeu Maluhy, pastor da Igreja Presbiteriana

Publicação autorizada pelo Presbítero Romeu Maluhy Junior, pastor e epíscopo

Agradecimentos de Universal Assembléia da Santa Aliança Cristã

Presbítero Jailson Pereira, apóstolo e epíscopo

 
 
 
 

VASO OU BOTIJA?

 
 

            As aparências enganam diz o provérbio popular. Assim como o joio e o trigo apresentam semelhanças, mas são intimamente diferentes, assim também ocorre com aqueles que fazem parte da Igreja visível, a Igreja militante.

Esta Igreja é formada por eleitos e não-eleitos, que possuem semelhanças, mas não são iguais – o Daí do Senhor revelará quem é e quem não é…

            Os capítulos 18 e 19 do Livro de Jeremias nos apresentam dois relatos, envolvendo elementos, mas que em si são fundamentalmente diferentes, possibilitando-nos lições espirituais e, por demais, oportunas.

No primeiro relato, o elemento apresentado por Deus é o vaso do oleiro, feito de barro, e que se lhe estraga na mão; então, o oleiro torna a fazer daquele barro outro vaso, segundo bem lhe pareceu (Jeremias 18:4).

No segundo relato, o elemento apresentado figuradamente pelo Senhor é uma botija de oleiro (também feita de barro), que é quebrada pelo profeta à vista dos homens que com ele estavam. E o que o Senhor fala a respeito daquela botija quebrada é o seguinte: “Deste modo quebrava Eu este povo e esta cidade, como o vaso do oleiro, que não pode mais refazer-se…” (Jeremias 19:10-11).

            Os dois objetos eram feitos do mesmo material, possuindo assim certa semelhança, mas no primeiro caso, só foi possível tornar a fazer daquele barro outro vaso porque havia flexibilidade, maleabilidade; era possível moldá-lo, segundo a vontade do oleiro. Já no segundo caso, só restaram cacos…Aquele barro já havia passado pelo fogo, estando endurecido e incapaz de ser reutilizado.

            É Deus quem modela e remodela seus servos, conforme seus eternos propósitos, cabendo a eles tão somente acabar e sujeitar-se aos desígnios do Senhor, que indaga: “Não poderei eu fazer de vós, como fez este oleiro, ò casa de Israel? – diz o Senhor; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel (Jeremias 18:6).

            Somos servos que servem ou servos que querem ser servidos?

            Somos barro nas mãos do Oleiro ou somos cacos de botija espalhados, imprestáveis, não remodeláveis? Em ambos os casos, as ações são do Soberano Senhor, em função de seus propósitos e da posição assumida pelo Seu povo.

            Então, o que somos nós: vaso ou botija?

            Refaze-nos, Senhor; para a Tua glória!

            Em Cristo Jesus, aquele que foi quebrado e refeito por nós.

 

 

            Com carinho pastoral.

 

            Rev. Claudio Aragão de Lima.
Share

Sermões Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

»